Mais cedo ou mais tarde chega o momento em que seus fantasmas reaparecem, principalmente quando você deixa o mundo das ideias e parte para a prática.

Você se empenha, acredita estar dando seu melhor, inspira-se em outras pessoas, estuda, delicia-se com o que vê em livros e treinamentos, em vídeos e posts das mídias sociais, acredita na história de sucesso dos que se auto promovem, arma-se de coragem e se lança aos leões.

E quando enfrenta o mundo real, começa a perceber as próprias falhas, encara seus limites, cai na armadilha de comparar-se com os que já estão na lida há mais tempo e tende a duvidar de si mesma, momento em que, faltando a autoconfiança, diminui sua potência de agir e uma sensação de incompetência derruba sua força empreendedora.

Voltam então os fantasmas, crenças limitadoras herdadas do passado, momentos de sua história pessoal em que a vida não foi tão bacana com você e que você achou que já tivesse superado totalmente.

E você, que já sabe muito bem que vendedores e empreendedores precisam estar dispostos, focados, esbanjando energia, com a mente e o coração abertos, logo vê acender a luz amarela indicando perigo, pois nestas horas você não quer nem sorrir.

Ok! Este fiozinho de consciência já é suficiente para que você tenha onde se agarrar e não se permita cair. Este é o momento de resgatar a essência que impulsionou você até aqui e sintonizar-se com seu Eu mais profundo.

Despertar de fantasias e colocar o pé no chão – não para desanimar, mas para lutar com maior e mais profunda consciência.

Eu me lembro de quando convivi com amigos que seguiam a proposta de reeducação alimentar dos Vigilantes do Peso e achei muito bacana a ideia adotada por eles, que colocavam uma foto na porta da geladeira de uma época em que estavam magros, para que aquela imagem os ajudasse a ter em mente porque estavam se esforçando tanto e qual era seu objetivo ao evitar correr para a geladeira nas horas de ansiedade.

Da mesma forma, precisamos ter nossos “pontos de ancoragem”, para reaquecer e iluminar a mente, o coração e a alma.

 

Algumas dicas que eu acho bem legais:

 

Escrever, registrar, declarar suas intenções

É importante registrar seus planos, seus sonhos, os sentimentos e pensamentos inspiradores que emergem quando você está preparando seu projeto, sua empresa, seu empreendimento, sua carreira. Por que eu quero ir nesta direção? Qual o propósito de vida que orienta este meu desejo? Que coisas boas eu posso dizer a respeito de mim mesmo e das minhas pretensões? Além de mim, quem mais eu pretendo beneficiar com este projeto de vida? (quase sempre há muito amor envolvido)

Permita-se escrever sobre isso, desenhar o que vem à mente, anotar o nome de uma música ou de um filme que tenha a ver com aquele momento bom, onde sua potência de agir, sua alegria e sua autoconfiança estão em alta (neste momento eu acho o lápis e o caderno mais aconchegantes, mas pode ser no celular, tablet, onde você quiser).

Na hora do baixo astral, rever estas anotações ajuda a retomar o ponto de ancoragem e reavivar aqueles sentimentos e ideais, reassumindo postura mais otimista.

Pedir ajuda a quem te ama e te conhece profundamente

Voltando aos momentos de baixa potência emocional, esta é a ocasião de pedir colo aos amigos de verdade. Pode ser também pai, mãe, parente, marido, mulher, ex-professor, desde que, antes de mais nada, haja relação de amizade e vida compartilhada. Estas pessoas tem o poder de “nos trazer de volta”, retirando os véus do pessimismo que nos fazem até mesmo esquecer porque fizemos as escolhas que fizemos.

 

Tomar cuidado com as comparações

Comparar-se é sempre um risco. Pode ser legal, se você estiver usando a experiência do outro apenas como uma referência. Mas pode ser destrutivo se você não estiver consciente de que cada um é um, e que seu caminho será único como único é seu universo pessoal.
Além disso, não acredite em todo sucesso aparente. Por trás das fotos de copo na mão, flash refletidos pela maquiagem e poses de vencedor há muita dor não revelada, fracassos não confessos e incertezas.

Curtir o caminho e desenvolver o tesão por aprender sempre

Há outras posturas equivocadas: nós nos fixamos demais nos resultados e deixamos de curtir o caminho, o processo, a própria magia da vida em si. Queremos uma vida linear e sem problemas e esta vida simplesmente não existe. A vida é feita de ciclos e de probabilidades e por mais que a gente planeje (e temos que planejar) há ocorrências que saem do nosso controle e que só reconheceremos quando elas acontecerem.

Vencer cada obstáculo, conviver com as dúvidas, conhecer o mundo exterior e o universo interior, aprender com as pessoas e com a experiência, esta é a vida real, intensa, linda, uma escola maravilhosa.

Cada escolha sempre acarretará alguma perda – não se pode ter tudo.

Claro que o resultado é importante, mas se você não aprender a conviver com as incertezas e desafios do processo, vai acabar se desequilibrando emocionalmente e aí sim é que os resultados não serão alcançados.

Entrar em contato com você, profundamente

Estamos num estado de excesso de conexões, sempre plugados, sempre com muito ruído na mente. Recolher-se também é uma estratégia importante. Orar de acordo com sua fé. Ouvir aquelas músicas que te sensibilizam. Ir ao encontro da natureza. Meditar (este é um assunto para outro post, pois é muito rico e importante). Cada um tem seu jeito de entrar em sintonia consigo mesmo, com seu Eu maior, com o Self2, com o Deus dentro de si – seja como for. Muitos insights e inspirações surgem nestes momentos.

 

Estar consciente de que só você tem aquela “pegada” que é só sua

E por fim, nunca é demais reforçar o seguinte: você é única (o), é original, tem uma história de vida que é só sua, passou por esta história de uma forma que só você passaria, absorveu das experiências aquilo que só você absorveria, e possui traços de identidade que serão seu diferencial – pessoal e intransferível, o chamado “toque pessoal” que, amadurecido pelo aprendizado que só vem com a prática (e após alguns fracassos naturais), serão o seu “pulo do gato”, seja na condução de uma empresa, seja na mesa de negociação, seja no trato com seus clientes.

Quem já chegou lá, chegou após errar muito até encontrar o seu caminho.

Acredite em você, espante os fantasmas e encontre o SEU próprio caminho também!

 

(imagem CrayonStock)